sexta-feira, 31 de julho de 2015

DILMA: O DRIBLE da VACA

Por Reinaldo Azevedo


Dilma libera R$ 1 bilhão em emendas parlamentares

Por VEJA

A presidente Dilma Rousseff participa de cerimônia de lançamento do Pronatec Jovem Aprendiz, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF)
Presidente Dilma Rousseff liberou verba para acalmar 
deputados e senadores que estão tendo dificuldade em 
obter verbas orçamentárias (Evaristo Sá/AFP)
Presidente tenta acalmar deputados e senadores diante das crises política e econômica

Às vésperas do fim do recesso parlamentar, o governo autorizou a liberação de cerca de 1 bilhão de reais referente a restos a pagar de emendas parlamentares de 2014 e anos anteriores. A primeira liberação de recursos a parlamentares neste ano é uma tentativa do governo de acalmar deputados e senadores em meio às crises política e econômica, que devem ser acentuadas neste segundo semestre.

Haverá prioridade aos pagamentos de emendas parlamentares para compra de máquinas e equipamentos, mas as verbas para gastos com obras também serão contempladas. "Não tem nenhum milagre. O que tem, pura e simplesmente, é que o governo está cumprindo a Lei Orçamentária. A nossa esperança é que a base do governo se solidifique mais", disse o ministro Eliseu Padilha (Aviação Civil), que atua diretamente na articulação política do governo. "Queremos mostrar que, no embate político, temos que unir forças", afirmou.

Um líder partidário disse ao jornal O Estado de S. Paulo ter recebido telefonema do ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), para comunicar a liberação de emendas.

Durante o recesso parlamentar, deputados demonstraram indignação com a dificuldade em obter as verbas do orçamento. Eles dizem estar sendo pressionados por prefeitos em suas bases eleitorais que, às vésperas das eleições, não têm recursos para executar as obras.

Em outra frente para atender à demanda nos Estados, a presidente Dilma Rousseff reúne nesta quinta-feira, em Brasília, os 27 governadores em busca de ajuda para evitar a aprovação de gastos extras previstos em projetos do Congresso, a chamada "pauta-bomba" de despesas para a União, Estados e municípios.

Dilma também tentará dar um tom menos pessimista sobre o futuro da economia, mesmo em meio à crise aguda. Os ministros da área econômica devem apresentar dados mostrando que a economia pode começar a reagir já no fim deste ano e, apesar das dificuldades, há uma luz no fim do túnel.

Recuperação - Na reunião de coordenação política, na segunda-feira, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, apresentou a seus colegas da área política dados mostrando que há indícios de uma reação e uma recuperação real já no ano que vem. Na quarta-feira, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou, ao sair de uma reunião com empresários, que há sinais de boas notícias, como uma leve recuperação das exportações.

Dilma quer que os dois ministros façam a mesma apresentação aos governadores. A intenção é angariar apoio às medidas que estão sendo tomadas para tentar recuperar a economia e, indiretamente, à própria presidente, em uma tentativa de mostrar que há um projeto de governo e que Dilma é a garantia da solução para a crise econômica.

A presidente quer mostrar os caminhos que o governo está traçando para sair da crise, que há viabilidade política nas suas propostas e que todos podem se beneficiar deles, desde que mobilizem suas bancadas para aprovar projetos importantes na recuperação da economia e na repatriação de recursos.

O Planalto afirma que todos os governadores confirmaram presença na reunião desta quinta-feira, inclusive os de oposição - apenas no caso de Mato Grosso do Sul deve vir a vice, Rose Modesto (PSDB). Há, também um movimento, mesmo entre os tucanos, de ajudar o governo na tentativa de barrar novos gastos no Congresso para evitar um efeito cascata nos Estados - entre elas, a possibilidade de derrubada do veto ao reajuste do Poder Judiciário, que podia chegar a 78%.


Dilma deve pedir a cooperação dos governadores, por exemplo, para barrar o projeto que altera a correção do FGTS e o equipara à correção da poupança - uma das propostas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) -, que está rompido com o governo.

Juros altos contra inflação prolongam recessão

Por Denise Campos de Toledo


Esses recordes dos juros foram em junho. Antes do novo aumento da taxa básica, decidido ontem pelo Copom, o Comitê de Política Monetária do Banco Central. A taxa básica subiu mais meio ponto, indo a 14,25% ao ano, o nivel mais alto desde 2006. A partir disso devemos ter mais uma rodada de alta dos juros, em geral. E, até, com algum reforço, como tem acontecido. Os juros na ponta final subiram muito mais que a taxa básica. 

Os bancos incluem um percentual a mais, por exemplo, pra compensar o risco de inadimplência. Apesar de o atraso de pagamento não estar crescendo muito - ficou até estável em junho - há esse risco, pelas dificuldades que as famílias e empresas estão enfrentando pra administrar as finanças, por causa da inflação, da própria elevação dos juros, o desemprego, a queda de movimento. 

Quem está enroscado, em algum momento pode não conseguir bancar as dívidas. Por conta disso, o crédito vai ficando ainda mais caro e escasso. Processo que reforça a desaceleração da atividade. Por isso, esse aumento, agora, da taxa básica foi mais questionado. Mas o fato é que o Banco Central quer mesmo uma desaceleração mais forte da demanda pra forçar as empresas a segurarem os aumentos e assim conseguir derrubar a inflação. 

Problema é que junto vai derrubar mais a economia, podendo aprofundar ou prolongar mais a recessão. Mesmo que os juros parem de subir, como até sinalizou o Copom. O comunicado que veio com a nova taxa falou em manutenção desse patamar. Só que por período suficientemente prolongado pra fazer a inflação convergir para o centro da meta no final de 2016. Na prática, os juros vão permanecer nas alturas pra fazer com que a inflação caia dos mais de 9% deste ano pra 4,5% no ano que vem. o que pode custar caro em termos de atividade e emprego. 

Nada contra derrubar a inflação. Inflação alta atrapalha a vida do consumidor, das empresas, toda a economia. Problema é querer obter o resultado com muita rapidez, pra mostrar serviço, garantir credibilidade, sendo que boa parte da inflação não veio da demanda mas do exagero que também houve na correção dos preços administrados, como energia.

ONU fará vistorias de surpresa em prisões e delegacias no Brasil


images (3)Prisão e tortura – A partir desta segunda-feira, 3, a Organização das Nações Unidas (ONU) vai investigar casos de torturas no Brasil e visitará, sem avisar, prisões. O relator da entidade Juan Méndez iniciará uma missão de dez dias pelo País para “identificar e examinar” os “maiores desafios em relação à tortura no Brasil”.

Vale ressaltar que nos últimos anos, a ONU chegou a qualificar a tortura no País como “ampla e generalizada”, o que fez o governo até mesmo tentar impedir a publicação de um informe.

A missão tem como objetivo avaliar até que ponto o governo tem lidado com essa situação, principalmente pelas forças de ordem. Méndez estará em Brasília, São Paulo, Sergipe, Maranhão e Alagoas. Em todos esses locais, poderá fazer visitas de surpresa a centros de detenção, a delegacias de polícia e penitenciárias.

Ele também se reuniu com autoridades, instituições de direitos humanos, com vítimas de tortura, seus familiares e ONGs. “Espero poder dialogar com o governo brasileiro sobre como lidar com os desafios de preservar o estado de direito, promover a responsabilidade e garantir o direito à reparação às vítimas”, afirmou Mendez.


Suas conclusões serão apresentadas no dia 14 de agosto, em Brasília.

Diga não à corrupção



As lições que os políticos de hoje não aprenderam.

O escândalo é único: o Brasil de Lula e Dilma


No Estadão: O escândalo é único: o  Brasil de Lula e DilmaTeles, fundos de pensão, Santo André, mensalão, BNDES, Eletrobrás e Petrobrás – um caso só

Que WikiLeaks, que Swissleaks, que cartéis mexicano e colombiano de drogas, que Fifagate, que nada! O escândalo top do mundo hoje é outro. Nada se lhe compara em grandeza aritmética, ousadia delituosa ou desrespeito a valores éticos. E é coisa nossa! Embora nada tenhamos a nos orgulhar de que o seja. Ao contrário!

Após se ter oposto ferozmente à escolha de Tancredo Neves pelo Colégio Eleitoral para dar início à Nova República; à posse e ao governo de José Sarney, a Fernando Collor, que ajudou a derrubar; ao sucessor constitucional deste, Itamar Franco, de cuja ascensão participou; e a Fernando Henrique Cardoso, o Partido dos Trabalhadores (PT) chegou ao governo federal com seu maior líder, Luiz Inácio Lula da Silva, e se lambuzou no pote de mel do poder sem medo de ser feliz.

O primeiro objetivo caiu-lhe no colo como a maçã desabou sobre a cabeça de Newton. Era de uma obviedade acaciana. Sob crítica feroz da oposição, que o PT comandava, os tucanos privatizaram a Telebrás e, devidamente desossado, o filé apetitoso das operadoras de telefones foi devorado na nova administração. Sob as bênçãos e os olhos cúpidos do padim Lula, a telefonia digital foi entregue a consórcios nos quais se associaram algumas operadoras internacionais, com a experiência exigida no ramo, burgueses amigos e fundos de pensão, cujos cofres já vinham sendo arrombados pelos mandachuvas das centrais sindicais. Nunca antes na história deste país houve chance tão boa para mergulhar na banheira de moedas do Tio Patinhas.

Só que o negócio era bom demais para ser administrado em paz. Logo os concessionários se engalfinharam em disputas acionárias, que mobilizaram a Polícia Federal (PF), a Justiça nacional, os órgãos de garantia de combate a monopólios e até instrumentos de arbitragem internacional. No fragor da guerra das teles, os primeiros sinais de maracutaia dividiram as grandes rotas com os aviões de carreira. Sabia-se que naquele pirão tinha caroço. Mas quem ficou com a parte do leão?

Impossível saber, pois este contencioso está enterrado sob sete palmos de terra. Desde o Estado Novo, os sindicatos operários ou patronais administram sem controle externo caixas que têm engordado ao longo do tempo com a cobrança da Contribuição Sindical, que arrecada um dia de trabalho de todo trabalhador formal no Brasil, seja ou não sindicalizado. Sob a égide de Lula, as centrais sindicais foram incluídas na divisão desse bolo gordo e açucarado. E o sistema financeiro, acusado de ser a sanguessuga do suor do trabalhador, incorporou a esse cabedal os fundos de pensão. Sob controle de dirigentes sindicais, estes ocultam uma caixa-preta que ninguém tem poder nem coragem para abrir.

Só que o noticiário sobre tais episódios foi soterrado pela avalanche de denúncias provocada pelas revelações da Ação Penal (AP) 470, já julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e conhecida popularmente pela denominação que lhe foi dada pelo delator, Roberto Jefferson – o mensalão. Agora, após seu julgamento ter sido concluído e com os réus condenados, este é visto quase como lana-caprina desde a eclosão de outro mais espetacular: a roubalheira do propinoduto da Petrobrás devassada pela Operação Lava Jato. Mas a cada dia fica mais claro que os dois casos se conectam e se explicam.

A importância de elucidar um crime ao investigar outro foi comprovada quando, na Operação Lava Jato, a PF encontrou nos papéis de Meire Poza, contadora do delator premiado Alberto Youssef, a prova de que o operador do mensalão, Marcos Valério, deu R$ 6 milhões ao empresário Ronan Maria Pinto, como tinha contado em depoimento referente à AP 470. Segundo Valério, essa quantia evitaria chantagem de Ronan, que ameaçava contar o que Lula e José Dirceu tinham que ver com o sequestro e morte de Celso Daniel, que era responsável pelo programa de governo na campanha de 2002.

Mas nem esta evidência da conexão Santo André-mensalão-petrolão convence o PSDB a dobrar a oposição do relator da CPI da Petrobrás, Luiz Sérgio (PT-RJ), e levar Ronan a depor, como tem insistido a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP). É que os tucanos articulam uma aliança com o atual dono do Diário do Grande ABC para enfrentar o petista Carlos Alberto Grana na eleição municipal de Santo André. E este corpo mole pode dificultar o esclarecimento da verdade toda.

A Lava Jato já produziu fatos antes inimagináveis, como acusações contra os maiores empreiteiros do País e até a prisão de vários deles. É o caso de Otávio Azevedo, presidente da Andrade Gutierrez, que presidia o Conselho de Administração da Oi na guerra das teles. Isso revela mais um investigado em mais de um escândalo. Como Pedro Corrêa e José Dirceu, acusados de receber propina da Petrobrás quando cumpriam pena pelo mensalão.

A Consuelo Dieguez, em reportagem da revista Piauí, publicada em setembro de 2012, Haroldo Lima, que tinha sido demitido por Dilma da presidência da Agência Nacional de Petróleo, disse que, no Conselho de Administração da Petrobrás, ele, a presidente e o ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli só votavam como o chefe mandava. E agora Lula é investigado por eventual lobby para a Odebrecht no exterior em obras financiadas pelo BNDES, a ser devassado em breve numa CPI na Câmara.

E a Lava Jato chegou à eletricidade. Walter Cardeal, diretor da Eletrobrás que acompanha Dilma desde o Rio Grande do Sul, foi citado na delação de Ricardo Pessoa, tido como chefe do cartel do petrolão, acusado de ter negociado doação de R$ 6,5 milhões à campanha da reeleição dela. Othon Silva, presidente licenciado da Eletronuclear, foi preso ontem, sob suspeita de ter recebido propina.

Teles, fundos de pensão, Santo André, mensalão, BNDES, eletrolão e petrolão não são casos isolados. Eles compõem um escândalo só, investigado em Portugal, Suíça e EUA: é este Brasil de Lula e Dilma.


_________________
Jose Nêumanne Pinto é jornalista, poeta e escritor

Tráfico de Orgãos:"Doutora" da Indústria do ABORTO negocia venda de partes de fetos


(Vídeo legendado)

Mais um escândalo surge no meio abortista americano. A médica Deborah Nucatola, Diretora Sênior de Serviços Médicos do conglomerado abortista Planned Parenthood, foi filmada em uma conversa para lá de natural falando sobre o mercado de tecidos humanos fetais. Isso mesmo, uma das chefes da maior empresa abortista dos EUA contou tudo sobre como funciona seu modelo de negócios: realizar aborto para separar partes dos bebês para venda.

Esse conjunto de clínicas abortistas forma uma fazenda de seres humanos, onde há preferências e consumidores ávidos a ter a melhor parte de um bebê.

(…)“I’d say a lot of people want liver. And for that reason, most providers will do this case under ultrasound guidance, so they’ll know where they’re putting their forceps. The kind of rate-limiting step of the procedure is calvarium. Calvarium—the head—is basically the biggest part.”

(…) Eu diria que muitas pessoas querem fígado. E por causa disso, muitos fornecedores realizarão os procedimentos com o auxílio de um ultrassom, para que eles saibam onde colocar o fórceps. Um fator limitador do procedimento é o calvarium. Calvarium – a cabeça – é basicamente a parte maior.”

São frases tenebrosas, contadas de um jeito tão natural quanto falar sobre o jogo de futebol do domingo.

No final a médica ainda menciona que propôs para a empresa criar um menu dos serviços e oferecer para os clientes. Os serviços, claro, são as partes retiradas dos bebês abortados.

MPF move ação contra BENÉ por fraude no Ministério das Cidades


Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, 
é dono da empresa denunciada pelo MPF.
Enrolado em escândalos do PT, Bené é réu por fraudar licitação

O Ministério Público Federal em Brasília denunciou à Justiça nove pessoas - sete ex-funcionários do Ministério das Cidades e dois empresários - pelos crimes de peculato e fraude em licitação.

Eles são acusados de desviar R$ 2,9 milhões dos cofres públicos em um contrato para a organização de 14 eventos realizados pelo ministério. Os crimes foram cometidos entre 2007 e 2009, entre a realização do pregão eletrônico e a execução do contrato pela empresa Dialog Serviços de Comunicação – atual Due Promoções e Eventos LTDA.

O MPF também ingressou com ação por improbidade administrativa relativa aos mesmos fatos, com pedido de ressarcimento ao erário. Entre os denunciados, estão o dono da empresa Dialog, Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, a ex-subsecretária de Planejamento do Ministério das Cidades Magda Oliveira de Myron Cardoso e o coordenador de Licitação do Ministério, Francisco de Assis Rodrigues Froés.

Bené participou das campanhas da presidente Dilma Rousseff e para o governo de Minas, transformandfo-se em um dos alvos de operação da Polícia Federal na qual foi implicada também a mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT).

A ação envolvendo irregularidades no Minstério das Cidades detalha a atuação de cada um dos participantes do esquema e as estratégias que permitiram o superfaturamento do contrato. De acordo com a petição inicial apresentada pelo MPF, apenas em um dos eventos – a 3ª Conferência Nacional das Cidades, realizada em dezembro de 2007 – o grupo desviou R$ 1,2 milhão em benefício da empresa responsável pela prestação do serviço.

As investigações revelaram que as fraudes começaram ainda na fase de elaboração do edital do pregão eletrônico. A empresa Dialog teria aproveitado-se do esquema denominado “jogo de planilha” – em que se atribui preço irrisório a itens pouco utilizados e sobrepreço aos produtos mais consumidos – para vencer a licitação.

“Com um lance de apenas R$ 24.862,61, que é bastante inferior ao valor de R$ 554.050,14 previamente estimado pela Administração, a empresa Dialog Serviços de Comunicação e Eventos Ltda. saiu vencedora do certame”, enfatiza um dos trechos da ação.

Mas o que se seguiu à assinatura do contrato foi a entrega de produtos pelos valores superiores aos registrados no mercado e estabelecidos no registro de preços, que serve como uma referência para o montante máximo que a Administração poderia pagar em cada aquisição.

Como exemplo do sobrepreço, o autor da denúncia cita a constatação do Tribunal de Contas da União (TCU) de que, dos 37 itens fornecidos pela empresa durante a 3ª Conferência das Cidades, 20 estavam entre 40% e 1.559% mais caros que os contratados por outros órgãos da Administração Pública em processos licitatórios realizados no mesmo período.

Copom elevou a taxa de juros

Por Reinaldo Azevedo


Lula processa quatro jornalistas da Veja por danos morais pela matéria negada por empreiteiro da OAS

 
O mito em decadência Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu ontem produzir uma notícia pior que o novo aumento da taxa de juros Selic (14,25%) dado pelos ortodoxos membros do Comitê de Política Monetária do Banco Central do Brasil. A assessoria do Instituto Lula levou a petelândia ao delírio ao anunciar que entrou na Justiça do Distrito Federal com uma ação por reparação de danos morais contra jornalistas da revista Veja. Lula ficou pt da vida com a reportagem de capa da última edição que tinha o título: "A vez dele"...

Os defensores de Lula se aproveitaram do fato que o advogado Edward Carvalho, que defende José Adelmário Pinheiro (mais conhecido como Léo, ex-presidente da empreiteira OAS, e tido como amigo íntimo de Lula), desmentiu a matéria de capa da Veja (que teve direito até a banner promocional gigante nas principais bancas de jornal). A publicação do grupo Abril requentou a bombástica denúncia de que Léo Pinheiro teria informações que poderiam comprovar a ligação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o esquema de corrupção da Petrobras.

Por isso, os advogados de Lula acionaram judicialmente os jornalistas Robson Bonin, Adriano Ceolin e Daniel Pereira, que assinaram a reportagem, além do diretor de Redação da publicação, Eurípedes Alcântara. Sem divulgar a íntegra da ação, o Instituto Lula proclamou: “O texto é repugnante, pela forma como foi escrito e pela absoluta ausência de elementos que possam lhe dar suporte”. Citando jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça, o IL decretou: “A liberdade de comunicação e de imprensa pressupõe a necessidade de o jornalista e/ou o veículo pautar-se pela verdade”.

Léo Pinheiro chegou a ser preso em 14 de novembro de 2014, mas foi tirado da cadeia em abril por ordem do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, para ficar em regime de "prisão domiciliar" (coisa que nem o poderoso amigo de Lula, Marcelo Odebrecht, conseguiu até agora...). Lula deve estar comemorando a "fidelidade" do amigo Léo. E corre o risco até de arrumar uns trocados em cima da editora Abril, se a Justiça concordar com sua tese.

O fato gravíssimo dessa guerra judicial é que um ex-Presidente da República, em fase de tensão e impopularidade, resolve descarregar sua ira contra jornalistas.  

A Vez dele: capa da Veja que tirou Lula do sério.

Recado dado pelo Homem de Gelo

O juiz Sérgio Moro, que virou celebridade nacional pela atuação na Lava Jato, aproveitou a palestra dada ontem à noite, sobre Lavagem de Dinheiro, sob patrocínio do Instituto dos Advogados do Paraná, em Curitiba, para mandar um recado certeiro aos que lutam para combater a corrupção:

"Não devemos cair na tentação de focalizar apenas no Estado ou nas entidades privadas. É uma culpa recíproca. Penso que as esferas privadas têm muito a contribuir. As próprias empresas podem fazer isso de maneira eficaz dizendo não a propina".

Aplaudido de pé pela plateia de 400 pessoas, quando entrou e saiu do palco, Moro mandou outra mensagem:

"Queria aqui agradecer a esse apoio que a sociedade civil organizada e o público geral têm dado às investigações e ao processo relativo ao caso. Acho que juízes e profissionais de direito podem fazer é muito limitado num processo dessa magnitude se não existe forte apoio da opinião pública".

Detalhe: mais de 300 pessoas não conseguiram entrar no local do evento, e ficaram na rua, esperando Moro sair para aplaudi-lo...

Vingança do Baixinho
Quem também deve processar a Veja é o craque senador Romário Faria - candidatíssimo à Prefeitura do Rio em 2016.

Em seu Facebook, Romário postou as seguintes mensagens de ironia:
"Alguém aí tem notícias dos repórteres da revista Veja Thiago Prado e Leslie Leitão, que assinaram a matéria afirmando que tenho R$ 7,5 milhões não declarados naSuíça? E do diretor de redação Eurípedes Alcântara? Dos redatores-chefes Lauro Jardim, Fábio Altman, Policarpo Junior e Thaís Oyama? Gostaria que eles explicassem como conseguiram este documento falso".
"Chateado! Acabei de descobrir aqui em Genebra, na Suíça, que não sou dono dos R$ 7,5 milhões. Aguardem mais informações... Agora, aqueles que devem, podem começar a contar as moedinhas, porque a conta vai chegar de todas as formas. Eu não finjo ser decente, não faço de conta ser sério e pareço ser correto. Eu sou!!!"

Impedido de viajar
Preso no EB

O Comando da 5a Região Militar do Exército, em Curitiba, fornece o quarto com banheiro que guardará, por pelo menos cinco dias, o Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ilustre preso na 16a fase (Radioatividade) da Operação Lava Jato.

Justamente por causa do Estatuto dos Militares, o três estrelas da Marinha escapou de ficar preso na Superintendência da Polícia Federal.

Aos 76 anos, afastado da Marinha desde 1994, o Almirante Othon presidiu a Eletronuclear, de 2005 até abril desde ano, sendo agora suspeito de ter recebido R$ 30 milhões em propinas pagas pelas empreiteiras que constroem a Usina Nuclear da Angra 3.

Perfeita para empreiteiros...
A imagem é da cela de primeira classe ocupada pelo traficante de drogas "Zé Roberto da Compensa" no chamado "Pavilhão Azul" do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, no Amazonas, que abriga um total de 1261 detentos.

O ambiente tem piso revestido com porcelanato, cama de casal, ventiladores e televisores de LED, uma cozinha equipada com louças, eletro-domésticos, faqueiro para 50 pessoas, bebedouro e jogo de panelas, um freezer horizontal, com duas portas, guarda peças de carne, inclusive de filé, e outras duas caixas de isopor contam com peixes diversos.

O luxuoso ambiente do líder da facção Família do Norte (FDN) foi descoberto em uma vistoria feita em parceria entre o Exército Brasileiro e a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas.

Monitoramento do EB

Na operação, o Exército usou a tecnologia de guerra que desenvolveu na atuação no Haiti.

O detector de metais fez uma varredura para achar objetos metálicos enterrados, como armas de fogo, facões, estoques (arma branca caseira) e celulares.

Foi mais uma demonstração de que o EB está preparadíssimo para ações de GLO (Garantia da Lei e da Ordem).

Saudando a mandioca e falando grego
Um show da ilustre personagem falando bobagens... Quem vai dar um sorriso amarelo com as brincadeiras do humorista Gustavo Mendes (clone da Anta) é o Eduardo Cunha...

Vídeo bacana
O vídeo, chamando para a manifestação de 16 de agosto é bem bacana.

Mas o mero argumento "Fora, Dilma" não resolve o problema do Brasil.

Leia, abaixo, o artigo do sociólogo e advogado Sérgio Alves de Oliveira: 

A tese correta é simples: "Posso dizer, em resumo, que apesar de abominar os governos do PT, jamais  festejarei o impeachment de Dilma, nem qualquer outra saída constitucional (renúncia, vacância ou impugnação de mandato), exceto a prevista no artigo 142 da CF (Intervenção pelo Poder Instituinte do Povo, através  das FFAA)".

Dilmagrela
Em Brasília, já se pergunta, com maldade: será que Dilma, ameaçada de cair por causa das pedaladas fiscais fora da lei, terá coragem de sair às ruas para andar de bicicleta no dia 16 de agosto?

Se a moda pega...

O governador tucano do Paraná, Beto Richa, ficou pt da vida com 80 professores que, segunda-feira passada, fizeram um inédito protesto em frente ao prédio onde mora, na Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, no Mossunguê, bairro de classe alta de Curitiba.

A bronca foi maior quando os professores entoaram cânticos para a primeira-dama e secretária do Trabalho e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, mulher do governador:

“Acorda Fernandinha Richa... Levanta fazer o café… O dia já vem raiando e o Gaeco já está de pé”.

Até então, protestos semelhantes só tinham sido organizados pelos professores em frente às casas de deputados estaduais.

Já pensou se a moda pega e o povo começar a fazer protestos na porta da casa dos políticos, pelo Brasil afora...

CPI do BNDES

O vídeo Consciência Patriótica mostra vários motivos para que se investiguem os empréstimos do BNDES para várias obras no exterior.

Fenômeno jovem

Morra de rir com o Viih Tube...

Calote oficial
Eis o permanente uso da política do é dando que se recebe...

Acontece...

Entrevista com o Procurador do TCU acerca das "Pedaladas Fiscais"

Por TV Fato


Entrevista com o Procurador do TCU, Dr. Julio Marcelo de Oliveira acerca da possíveis "Pedaladas Fiscais".

Ladram os cães de guarda do PT: Ilimar Franco e a Rede Globo, Luis Nassif e Kennedy Alencar

Por Luciano Ayan

O que ainda segura o PT é o uso criminoso de verba estatal para comprar apoio político, seja na Internet, seja na mídia de larga escala. Ao não priorizarmos esta batalha, temos que gastar esforços ao cubo em outras demandas.

Ilimar Franco acusa movimentos de direita de “nazismo” e inicia nova fase da guerra midiática contra a liberdade

O jornalista Ilimar Franco, do Globo, resolveu levar a guerra midiática contra os opositores do PT a novos patamares. Ele adentrou ao território do confronto aberto. Enfim, as organizações Globo resolveram, assim como fizeram na ditadura militar, abraçar com toda força a ditadura petista. Para compreendermos diante de qual nível de baixeza estamos, melhor começar com a análise de Alexandre Borges, com muitas informações interessantíssimas:

"Quando a ultra-petista Tereza Cruvinel saiu do jornal O GLOBO em 2007 para assumir a presidência da EBC (TV Brasil, NBR TV, Agência Brasil e várias rádios) a convite de Lula, deixou em seu lugar o cunhado Ilimar Franco. É como no futebol quando um técnico sai e deixa seu carregador do saco de bolas e uniformes no lugar. Tereza Cruvinel na adolescência foi militante da Liga Operária, atual PSTU, mas depois deu uma “guinada à direita” e acabou petista.
Ilimar foi esquecido na coluna que a cunhada mais famosa assinava em O GLOBO e, oito anos depois, a indigência intelectual continua a mesma. Seu colunismo é do tipo mais comum em Brasília, o “papo de cafezinho”, aquele que se resume a publicar fofocas plantadas pelo PT e pela esquerda em geral para mandar recados a adversários e apitar os “dog whistles” para a militância. É como um blog de fofoca de celebridades, só que com gente feia nos holofotes.
A coluna de hoje reproduz, da maneira bocó e pedestre que caracteriza seu autor, a infalível Lei de Godwin: quando acabam os argumentos na discussão, resta chamar o adversário de nazista. Nesse caso, Ilimar não só cruzou esta última linha como associou diretamente os movimentos de rua contra o governo ao nazismo, com todas as letras, citando o MBL, o Vem pra Rua e o Revoltados On Line. O que resta a esses movimentos é, sem dúvida, a via judicial. Se algum advogado liberal estava esperando uma oportunidade para ajudar a limpar o país do petismo, ela chegou.
Você, que é um dos nove entre dez brasileiros cansados do petismo, também é visto pelo colunista como alguém que “ataca nordestinos” e é contra as cotas, uma maneira esquerdista light de te chamar de racista. Está bom de insultos para domingo de manhã num dos principais jornais do país?
Outra técnica manjada é tentar dar um ar acadêmico ao comentário, nesse caso convocando o esquerdista Alberto Carlos de Almeida para desqualificar os movimentos oposicionistas: “não tem expressão real”. Veremos nas próximas eleições, mas é interessante como o fato de 93% dos brasileiros desaprovarem esse desastrado, corrupto, inepto e decadente governo passa completamente despercebido para os “cientistas políticos” autorizados pelo petismo para frequentas as colunas de jornal.
Com a internet e as redes sociais, a população já não é mais refém desse tipo de delinquente que tem como única função no jornalismo avançar a agenda petista como se empurra comida goela abaixo de um ganso para produzir foie gras. Não mais, é hora do basta, e é sempre um alívio saber que os recados desse triste serviçal do petismo são cada vez menos relevantes para o eleitorado."

Essa coisa, aliás, pode ser lida aqui, bem como na versão impressa do jornal. Abaixo segue um printscreen da acusação:
ifab 
Renan Santos, um dos líderes do Movimento Brasil Livre, com toda razão não vai levar desaforo para casa. Veja o vídeo:

E tem que processar mesmo!

Porém, é importante acrescentar algo. Ilimar Franco e os blogueiros petistas fazem parte do mesmo time. A diferença é que os últimos geram o conteúdo que será depois multiplicado pela mídia de maior porte. Ryan Holiday já havia explicado o processo em um livro intitulado Trust Me, I´m Lying. Faço questão de adicionar o trailer abaixo por que (apesar de ser em inglês) ele dá uma descrição de como funciona:

Logo, é preciso combater o uso de verba estatal para os blogs petistas, que dependem de verba desproporcional para conseguir estabelecer verdadeiros think tanks virtuais, pelos quais criaram um negócio baseado na confecção de factóides para o governo.

Por outro lado, tudo que tem ocorrido tem origem nos últimos dois meses de 2014, quando o PT resolveu cortar, ao menos por algum tempo, as verbas estatais de anúncios para a Revista Veja, e, ao mesmo tempo, iniciou uma campanha para causar a censura de Rachel Sheherazade no SBT. Essas duas mensagens poderosíssimas fizeram com que a mídia, já tendenciosa em favor do governo, fosse se ajoelhar de uma vez por todas. Sendo que os blogs estatais continuam sendo abastecidos pelas verbas estatais, é óbvio que a coisa ia descambar para esses ataques, que serão ainda maiores daqui para a frente.

Em novembro de 2014, escrevi, após Rachel ter sido censurada:

"De novo, outra vitória simbólica estupenda do PT na questão da censura de mídia. De novo, outra vitória simbólica estupenda do PT na questão da censura de mídia. Se eles já conseguiram cortar verbas para a Veja (e ninguém falou nada), o silêncio dos republicanos em relação à mais esse caso irá cada vez mais implantar a seguinte mensagem no senso comum: “é lícito e normal que o governo use seu poder econômico para coagir empresas a direcionar conteúdo a seu favor, assim como punir aquelas que tenham conteúdo contra”.

Evidentemente, um impeachment de Dilma Rousseff é provável. Todavia, ele é triplamente mais difícil exatamente pelo fato de o governo continuar mantendo uma blogosfera estatal, direcionando conteúdo da mídia a partir de anúncios estatais. Bastaria uma proibição de anúncios de estatais monopolistas em qualquer mídia, além de definir critérios isonômicos para todos os meios (sem nenhum risco de sanção), o estabelecimento de um grande Adsense para anúncios de Internet (que ainda assim deveriam ser reduzidos, em investimento, comparado ao que acontece hoje) e a garantia da liberdade na Internet (onde nós podemos desconstruir as mentiras da mídia).

Em suma, o que ainda segura o PT é o uso criminoso de verba estatal para comprar apoio político, seja na Internet, seja na mídia de larga escala. Ao não priorizarmos esta batalha, temos que gastar esforços ao cubo em outras demandas.

Renan Santos faz muito bem ao processar Ilimar Franco Nós todos, porém, devemos priorizar leis para (1) encerrar ou limitar radicalmente anúncios de estatais monopolistas, (2) estabelecer um limite para gastos estatais com anúncios, (3) garantir isonomia de distribuição de verbas, (4) sem querer ser redundante, estabelecer limites e uma política de isonomia para anúncios estatais especialmente na Internet, e (5) garantir a Internet livre. Com medidas assim, tiramos o sorriso do rosto de gente como Ilimar Franco fácil, fácil…

Kennedy Alencar quer dar golpe em Cunha

Por que um petista chama os outros de golpistas o tempo todo? Simples: para esconder seu próprio vício em golpismo, uma vez que as ações petistas geralmente incorrem em golpe. Com Kennedy Alencar não seria diferente. Diz ele:

"O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), diz que pretende continuar no comando da Casa na hipótese de ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
A denúncia deverá vir em breve.
Reservadamente, um dos investigadores afirma que o relato do que foi apurado até agora poderá levar Cunha a sofrer pressão política para reavaliar a intenção de continuar a presidir a Câmara. A denúncia teria fatos fortes."

Ué, não é Eduardo Cunha quem precisa “pretender” continuar no comando da Casa na hipótese de denúncia. São os golpistas do PT que devem “pretender” tirá-lo de lá apenas com meras denúncias que, como tais em um Estado de Direito, não configuram motivo para afastamento (onde está o resultado do julgamento, Kennedy?). Ademais, segundo os próprios petistas, apeamento de alguém que foi eleito por voto é “golpe”. Neste caso, os petistas estariam dando um golpe duplo, posto que Cunha foi eleito pelo povo, no voto direto, e depois eleito Presidente da Câmara, por votação em uma Câmara de Deputados, todos eles eleitos pelo povo, também em voto direto.

"Na avaliação de quem está no centro das decisões da Lava Jato, a prisão preventiva de Cunha já teria sido pedida caso ele fosse um executivo de uma empreiteira. Investigadores dizem que o presidente da Câmara teria tentado interferir nas investigações. Cunha nega e se diz perseguido pela Procuradoria Geral da República.
Mas, como o peemedebista é chefe de um poder da República, seriam complicados os eventuais pedidos de prisão ou de afastamento da presidência da Câmara _este último uma possibilidade em estudo e ainda sem decisão da parte do Ministério Público."
A coisa é mais simples. A expressão “seriam complicados os eventuais pedidos de prisão ou de afastamento” significam “o golpe é mais difícil”.
"Cunha sempre negou ter cometido crime no âmbito da Lava Jato. E já deu prova de que tem audácia política suficiente para enfrentar a Procuradoria Geral da República.
Segundo parlamentares que conversaram com Cunha nos últimos dias, ele estaria decidido a tentar ficar no comando da Câmara e a marcar o início do segundo semestre como um inferno para o Palácio do Planalto.
O duelo entre Cunha e Janot promete emoções."

A emoção vai aumentar muito mais no momento em que os republicanos do Brasil (ou seja, todos aqueles que não apoiam o totalitarismo petista) começarem a demonstrar o quanto a tentativa de afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara é golpismo puro e simples.

O quão baixo os governistas podem descer? Cientificamente, não temos esta resposta, pois neste caso eles nos mostram descobrir a arte de explorar o infinito absoluto.

Os petistas destruíram a economia brasileira, saquearam o estado e aparelharam toda a máquina com tamanha proficiência porque possuem uma ética digna de assustar o Satanás. É gente com esse perfil que consegue, no mesmo instante em que acusam os opositores de “golpistas”, usar um discurso, este sim, golpista, e ainda por cima sem se corar.

A partir de agora, devemos aplicar a regra de Alinsky, que dita que devemos fazer o adversário sucumbir pelo próprio livro de regras, e humilhá-los em público a cada vez que tentarem dar um golpe em Eduardo Cunha.

Luis Nassif diz que não se importa se Othon Luiz Pinheiro da Silva é culpado ou não

O almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva apareceu na delação premiada de Danton Avancini, diretor da Camargo Correa (que lhe teria feito três pagamentos). Othon foi para trás das grades. Em vista disso, Luis Nassif afirmou:

"É possível que Othon seja culpado, é possível que não seja, pouco importa: desde hoje está na cadeia o pai do programa nuclear brasileiro.
O Brasil deve a Othon o maior feito de inovação da sua história moderna: o processo de enriquecimento de urânio através de ultra centrífugas. Foi um trabalho portentoso, que sobreviveu às crises do governo Sarney, ao desmonte da era Collor, aos problemas históricos de escassez de recursos, enfrentando boicotes externos, valendo-se de gambiarras eletrônicas para contornar a falta de acesso a componentes básicos, cuja exportação era vetada por países que já dominavam a tecnologia."

Como se diz por aí… eu queria “desler” isso.

Quer dizer que Luis Nassif afirma que “pouco importa” se Othon é culpado ou não? O problema, conforme ele alega, é que o sujeito é definido como “pai do programa nuclear brasileiro”. Na verdade, não. Othon foi apenas o coordenador de projetos especiais e, como tal, poderia ter sido substituído por outra pessoa. O bizarro é que Nassif tratou o almirante como se fosse um cientista, sem o qual uma “descoberta” não existiria.

E nem que fosse! O fato é que as qualificações e méritos de Othon, neste momento, não significam absolutamente nada: o que importa é se ele é culpado ou inocente. Repare que para Nassif “não importa” se ele é culpado ou inocente. Quer dizer, mais uma vez um petista inverte tudo no momento de fazer avaliações morais.

Em tempo: nós não devemos nada a Othon. Que eu saiba ele recebeu salário pelo que fazia. E ele não fez caridade alguma. E ainda por cima o salário dele foi pago por nós.


quinta-feira, 30 de julho de 2015

A meta do Brasil com cérebro é livrar-se da governante que duplica metas inexistentes


Um discurso de Dilma Rousseff só não é pior que o próximo, aqui se constatou no fim de junho, durante a passagem da comitiva presidencial por Nova York. Alguns leitores duvidaram: como poderia superar-se a campeã que conseguira, num único palavrório, enxergar no Petrolão a reedição da Inconfidência Mineira, promover-se a Tiradentes, comparar a Operação Lava Jato a uma gigantesca sessão de tortura e rebaixar a inimigos da pátria os réus que optaram por um acordo com o Ministério Público Federal?

O ceticismo foi destroçado pela saudação à mandioca, que precedeu a comunhão com o milho, à qual sobreveio a descoberta da mulher sapiens. Mais alguns dias e outro delírio em dilmês castiço ensinou que pouquíssimos “processos tecnológicos” foram tão relevantes para a Humanidade quanto a conquista do fogo e a cooperação. Não era pouca coisa para um julho só. Mas não era tudo, demonstrou nesta terça-feira a proeza consumada na festinha de batizado do Programa Pronatec Jovem Aprendiz na Micro e Pequena Empresa.

Dilma descobriu uma fórmula que permite duplicar o nada, resumiu o site de VEJA. O vídeo de 18 segundos eternizou o momento soberbo. “E nós num vamos colocar uma meta, nós vamos deixar uma meta aberta”, decola a oradora. Se é assim, não há meta a alcançar, certo? Errado, corrige a continuação da maluquice: “Quando a gente atingir a meta, nós dobramos a meta”. Animada com a salva de palmas, caprichou no bis: “Quando a gente atingir a meta, nós dobramos a meta”. Mais aplausos. (É uma pena que sabujice não dê cadeia. Mas isto é assunto para outro post).

A presidente que multiplica por dois metas inexistentes quer ficar no emprego mais três anos e meio. A meta do Brasil com cérebro é ver dissolvido por meios legais ─ e o quanto antes ─ um governo que deixou de existir sem ter começado.








Assessores afirmam que, somente agora, Dilma está se dando conta da crise que afunda o Brasil


11817080_787500161370588_2472614579934545332_nRuim da cabeça – Assessores mais próximos da presidente Dilma Rousseff afirmam que somente agora “caiu a ficha” da petista sobre a crise que atinge o país. Se agosto é considerado o mês do desgosto, para o governo essa frase nunca teve tanto sentido como neste momento.

Em agosto o Congresso retomará suas atividades com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disposto a transformar a Casa numa trincheira de oposição, o Tribunal de Contas da União (TCU) examinará as contas de Dilma com a ameaça de impeachment rondando o ambiente e uma CPI do BNDES atormentará o Planalto, além daquela da Petrobrás.

No mais, a Operação Lava Jato fará mais vítimas e haverá eleição para a escolha do procurador-geral da República. Rodrigo Janot, o atual chefe do Ministério Público, é favorito para ser reconduzido ao posto, porém, caso vença a disputa, terá de passar pelo crivo do Senado. Vale ressaltar que, furiosos com a atuação de Janot na Lava Jato, senadores querem vê-lo bem distante dali.

Nesse clima extremamente desfavorável, a petista recorreu à distribuição de cargos e emendas parlamentares para soldar a base aliada. O ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, que ajuda o vice-presidente Michel Temer na articulação política, tem no gabinete da Secretaria de Relações Institucionais várias pastas com nomes de deputados e senadores. Ao lado de cada um, há faixas coloridas que indicam o índice de fidelidade nas votações. A cor vermelha sinaliza perigo, mas, hoje em dia, até a traição tem sido recompensada.

Contudo, Dilma tentará, mais uma vez, investir na agenda positiva para recuperar a credibilidade. A pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ela sairá do Planalto, fará excursões pelo Nordeste, onde houve debandada de antigos eleitores do PT, e inaugurará obras País afora.

Em almoço com Dilma no Palácio da Alvorada, no último dia 14, Lula bateu com as duas mãos na mesa quando o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, fazia considerações sobre os problemas provocados pela Lava Jato. “Eu não vim de São Paulo aqui para discutir Lava Jato”, esbravejou Lula. “Se for para ficar falando disso, levanto e vou embora”.

No mesmo dia, o ‘imbatível’ ex-presidente traçou um roteiro de reação à crise. Pediu para Dilma mandar os ministros viajarem e divulgar as ações do governo. O que o petista não contava é que, desde então, tudo piorou e o próprio Lula virou alvo da Procuradoria da República no Distrito Federal, que suspeita de tráfico de influência em benefício da empreiteira Odebrecht.

Visando recuperar a credibilidade, o Planalto promoverá, no mês que vem, cerimônias para lançar programas já em andamento, como o Minha Casa Minha Vida 3, e comemorar a marca de 60 milhões de pacientes no Mais Médicos. A ideia é que Dilma também faça tour por programas de TV.

No Congresso, com Eduardo Cunha na oposição, a estratégia consiste em se aproximar do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que também pode segurar um eventual processo de impeachment.


“Não podem morrer os dois”, resumiu um auxiliar de Dilma, numa referência a Cunha e Renan. Em conversas reservadas, ministros preveem a derrocada de Cunha na Lava Jato e já avaliam nomes que possam sucedê-lo no comando da Câmara. Nenhum deles é do PT.

Desemprego sobe pelo quinto mês na Grande SP



Desemprego sobe pelo 5º mês consecutivo na região metropolitana de São Paulo. É o que mostram os dados sobre o mês de junho divulgados hoje pelo Dieese.

Canhões de Agosto

Por Milton Pires

Porto Alegre, 27 de julho de 2015.

Dia 16 de agosto, o BRASIL inteiro nas ruas – Os Canhões de Agosto somos todos nós !

Agosto é o mês das bombas de Hiroshima e Nagasaki, agosto está no título da obra-prima de Barbara Tuchman e é, agora, para todos nós sinônimo de esperança de retirada do poder dessa organização criminosa chamada PT.

O PT destruiu a economia, humilhou os médicos, colocou os policiais na condição de bandidos e matou professores de fome. O PT destruiu a Universidade Brasileira, liquidou com a cultura, acabou com carreira de artistas e roubou da nação a maior quantidade de dinheiro já desviada da História. Essa legião precisa ser varrida do poder. Está nas nossas mãos ! Só depende de nós! 

Nós precisamos mostrar ao mundo que o Brasil não pertence ao PT, que aqui existe gente honesta, que esse povo é sério e que o país merece respeito. Não vai ser possível fazer tudo isso com essa corja de marginais no poder. Não podemos esperar por Eduardo Cunha nem pelas Forças Armadas. Precisamos estar, aos milhões, nas ruas do Brasil exigindo a renúncia imediata desta verdadeira BANDIDA que nos governa. Mensalão, Petrolão, Eletrolão ... só muda o nome: tudo é uma coisa só – o projeto criminoso destes marginais que construíram hospitais no Oriente Médio, usinas hidroelétricas na América Central, autoestradas na África e fraudaram, ROUBARAM, a eleição de 2014 na urnas eletrônicas!

O lugar dos petistas é na cadeia – nós NÃO precisamos de justificativa legal alguma para varrer estes bandidos de Brasília. O impeachment é um DIREITO NOSSO; não um favor que deputados e senadores vão (se é que vão) nos fazer. O que nos falta é a capacidade de retomarmos, todos nós, o controle do nosso destino, da nossa história, que estes verdadeiros marginais bolivarianos do Foro de São Paulo nos tomaram. O doutor Sérgio Moro e a Operação Lava Jato estão fazendo a parte deles; nós precisamos fazer a nossa pois não necessitamos de nenhum motivo maior do que a nossa própria vontade para derrubar do poder o PT e o seu projeto criminoso de governo.

Meus amigos, o PT nos humilhou, nos apresenta ao mundo como o país mais corrupto do planeta. Uma simples declaração da presidente Dilma beira à esquizofrenia e a plateia não consegue, sequer, conter as gargalhadas. Aproxima-se a hora de José Dirceu, Lula, Palocci e tantos outros marginais do PT serem mandados para Curitiba. A prisão deles é CERTA e cabe a nós todos, na próxima manifestação, mostrar aos políticos que ainda estão “soltos” que eles podem ser os próximos, que nós sabemos de tudo, que nada nos passa despercebido, e que os verdadeiros marginais com cargo público tem os dias contados.



Dia 16 de agosto, o BRASIL inteiro nas ruas.

Os Canhões de Agosto somos todos nós !




__________
Milton Pires é médico.

Dilma procura sócio para a crise

Por Reinaldo Azevedo



O “milagre” do PT


Caros amigos

Na missa do último domingo, o Evangelho, na palavra de João, nos relatou o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes.  Jesus, diante da necessidade de alimentar mais de 5 mil homens, consultou Filipe que lhe responde com a afirmação lógica de que nem com 200 moedas de prata isto seria possível.

André, por sua vez, mostrou-lhe que tinham apenas cinco pães e dois peixes, tentando fazê-lo concluir que seria humanamente impossível alimentar toda aquela gente com tão pouca comida.

Filipe e André não se davam conta de que Jesus, e somente Ele, não era limitado pela razão ou pela lógica. Ele podia fazer coisas humanamente impossíveis, como distribuir o que não havia e ainda fazer sobrar.

Jesus era honesto e humilde e não vivia nem se locupletava de seus milagres. Só usava seus dons em benefício do próximo, do necessitado, daquele que merecia o seu santo empenho.

Lula da Silva, Dilma e seus “discípulos”, do alto da soberba que sempre os dominou, imaginaram que se Ele, Jesus, o Filho de Deus, pôde distribuir o que não tinha, eles também poderiam fazê-lo! E, mais ainda, zombando da desambição do Cristo, ficariam de posse da maior e melhor parte do “milagre”.

O ex-ministro Delfim Neto, consciente dos limites da sua humanidade, dizia com sabedoria e humildade: “É preciso fazer crescer o bolo antes de dividi-lo”, ou seja, é preciso produzir e fazer sobrar, antes de distribuir. E, assim agindo, fez o que usou-se chamar  de “o milagre brasileiro” que, de milagre, só tinha o nome, porquanto representava planejamento, disciplina, abnegação, seriedade, honestidade, trabalho, criatividade, superação e abandono do imediatismo e da ilusão.

Delfin, logicamente, não era socialista, comunista e, muito menos “bolivariano”, nem  tampouco ambicioso além dos limites da honestidade como os milagreiros presunçosos do PT, que, além de abatumar o bolo, estragaram o fermento e destruíram o forno!

E lógico que o Brasil irá superar a crise e a situação caótica em que os petistas o meteram. O que não é lógico é creditar aos malfeitores a solução do problema. O lugar das raposas é outro, bem longe da administração do galinheiro.

Por mais que os “capos” desta máfia digam que é “apenas” uma questão de tempo, cabe à sociedade como um todo não perder mais tempo e, por massiva, arrebatada e entusiástica manifestação, exigir que percam ou devolvam os seus mandatos e que saiam da vida pública por incompetência, desonestidade e desrespeito ao povo brasileiro!

16 da Agosto é o dia reservado para mostrarmos o tamanho e a força do nosso repúdio ao “milagre” do PT!


= Nenhuma ditadura serve para o Brasil =